Garotinho de 10 anos dá linda lição de positividade e superação

Ter uma visão positiva da vida é um poderoso ingrediente para vencer os obstáculos que podem se apresentar pelo caminho. E é por essa atitude vibrante e otimista que Zion Harvey, um garotinho americano de apenas 10 anos, chama tanto a atenção.

Quando tinha apenas dois anos, ele enfrentou uma grave infecção e, por consequência precisou ter as mãos e os pés amputados. Com próteses nos membros inferiores, ele se tornou muito ativo e, além disso, aprendeu a usar os antebraços para escrever, comer e brincar.

Sua mãe, no entanto, queria dar ainda mais qualidade de vida ao filho e, por isso decidiu procurar próteses para suas mãos. Foi assim, em 2015, que a família se deparou com a oportunidade de Zion receber um transplante duplo.

 

Segundo os médicos do Children’s Hospital of Philadelphia, esse tipo de procedimento não é comum para crianças por conta dos remédios imunossupressores, que devem ser tomados pelo resto da vida do transplantado e podem apresentar alguns riscos em longo prazo. Zion, no entanto, havia passado por um transplante de rim e, por isso, já fazia uso dos medicamentos. Foi assim que, sem jamais perder o sorriso no rosto (veja em um vídeo em inglês feito pelo próprio hospital), ele se tornou o mais jovem paciente a receber um transplante duplo de membros.

Poucos dias após a cirurgia, Zion já podia mexer os dedos. Muito além de seu progresso físico, no entanto, ele impressionou a equipe médica por outro motivo. “Ele lidou incrivelmente bem com tudo, melhor do que muitos adultos lidam com uma cirurgia comum, mais simples”, disse Scott Levin, o diretor do programa de transplante de mão do Hospital Infantil. “Nunca vi Zion chorar. Nunca o vi gritar, ou se queixar de dor, nunca o vi querer fugir da terapia, ele é um ser humano notável“.

Agora, dois anos depois da cirurgia, o menino volta a surpreender a internet: com a ajuda de muita fisioterapia e força de vontade, ele já consegue pegar objetos, jogar baseball e até escrever. Com essa nova habilidade, o garoto tem um plano muito especial: “quero escrever uma carta aos pais (do doador), por me darem as mãos de seu filho, porque eles não precisavam fazer isso se não quisessem”, falou cheio de gratidão.

Zion também não esquece todo o apoio e o empenho de sua mãe, Pattie Ray, durante todo o processo. “Devo tudo à minha mãe, porque ela me ajudou nos momentos mais difíceis da minha vida”, disse o garotinho em entrevista. Para fechar o menino mostra um pouco mais de sua franqueza e sabedoria infantil. “No lugar de não ter nenhuma mão, agora eu tenho duas. Todo resto continua igual. Meus amigos não mudaram, eles me tratam da mesma maneira. Sou só um garoto”. Maravilhosa lição de persistência, otimismo e positividade, não é?

Fonte: Daqui Dali

NEWSLETTER DA CASA

RECEBA NOSSAS NOVIDADES