Crianças precisam de tempo: por que é importante brincar sozinho?

Passar o máximo de tempo com os pequenos e acompanhá-los em suas descobertas diárias é supersaudável. No entanto, é importante não perder de vista que as crianças também necessitam de tempo a sós. Sobretudo na rotina atribulada em que a maioria das famíliasPassar o máximo de tempo com os pequenos e acompanhá-los em suas descobertas diárias é supersaudável. No entanto, é importante não perder de vista que as crianças também necessitam de tempo a sós. Sobretudo na rotina atribulada em que a maioria das famílias vive hoje, com pouco tempo de silêncio e tempo livre, proporcionar aos pequenos horas de tranquilidade e solidão traz benefícios significados para a forma de elaboração do mundo e de si mesmas. Na hora da brincadeira, não seria diferente.

O Tempojunto pensou nisso e preparou algumas dicas para os momentos em que as crianças demonstrarem que querem brincar sozinhas. vive hoje, com pouco tempo de silêncio e tempo livre, proporcionar aos pequenos horas de tranquilidade e solidão traz benefícios significados para a forma de elaboração do mundo e de si mesmas. Na hora da brincadeira, não seria diferente. O Tempojunto pensou nisso e preparou algumas dicas para os momentos em que as crianças demonstrarem que querem brincar sozinhas.

A importância do faz-de-conta

Comumente, é a partir dos três anos que as crianças começam a demonstrar interesse por brincar sozinhas – entenda-se: sem adultos por perto. Segundo os especialistas, essa fase do desenvolvimento pode ser chamada de faz de conta.

Aproximadamente até os 7 anos, as crianças imitam as atividades dos adultos, e costumam transformar as referências que recebem no dia a dia em brincadeiras de fantasia.Filmes, desenhos e histórias de livros podem se tornar brincadeiras de faz de conta nesta fase, daí a importância de oferecer bons referenciais imaginativos.  O adulto não só pode como deve estimular esse movimento inventivo. Confira algumas dicas simples do Tempojunto para estimular esta fase do desenvolvimento:

1 – Respeitar o tempo da criança.

Pense bem. Se você precisa de tempo para desenvolver um projeto de trabalho, a criança também precisa de tempo para desenvolver seu faz de conta. Então, dê tempo a ela para brincar, para sua imaginação voar longe. Segure a vontade de ficar perguntando o que ela está fazendo; evite interromper. Só fique atento de longe para ver se ela não se coloca em perigo.

2 – Oferecer estímulos para o faz de conta.

Uma caixa de papelão, tubos vazios de papel higiênico, um lençol, echarpes, tecidos, revistas velhas, aquela calculadora antiga. Todos estes materiais – e muitos outros existentes em casa – são o sonho de qualquer criança “imaginadora”. Então, separe este tipo de objetos sempre que puder. Melhor ainda se você deixar disponível sem que eles percebam. Dá aquela ideia de “uau! Olha o que nós achamos!”

Enquanto brinca de faz de conta, a criança treina seu comportamento social, aprende a cumprir regras, vivencia como é estar no papel do outro e ainda aprende a trabalhar situações vividas e superar medos.

 

Fonte: Catraquinha

NEWSLETTER DA CASA

RECEBA NOSSAS NOVIDADES